Dicas

O uso de produtos piratas na odontologia preocupa desde profissionais da saúde até a Anvisa, e não é para menos: 30% dos implantes dentários no Brasil são feitos com materiais falsificados, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Dispositivos Médicos (Abimo). Sem falar nas lojas que vendem de forma indevida materiais que vão parar nas mãos até de adolescentes, que criam de forma caseira aparelhos ortodônticos.

A cada ano que passa, as tecnologias, tanto para a gestão odontológica quanto para a própria Odontologia, são melhoradas. Manter-se atento não somente a essas novidades, mas também às tendências que estão chamando mais atenção do público, é de grande ajuda para realizar um melhor atendimento e ainda atrair e fidelizar mais pacientes.

A oclusão dentária é a relação funcional que se estabelece entre os componentes do sistema mastigatório. Este sistema inclui os dentes, as gengivas, o sistema neuromuscular, as articulações temporomandibulares e o esqueleto craniofacial.

Por este motivo, a oclusão é objeto de uma especialidade essencial em odontologia, que visa manter todas as partes do aparelho estomatognático em perfeito estado de saúde. Além disso, o modo como é efetuada a oclusão pode afetar, em maior ou menor medida, funções fisiológicas necessárias, como comer ou falar.

A anestesia tem a função de bloquear, de forma reversível, a geração e a liberação do impulso nervoso, evitando a dor e, ao mesmo tempo, mantendo o indivíduo consciente e seguro.

Dentro da odontologia, a benzocaína é o anestésico mais comum. Esse fármaco, juntamente com a Lidocaína, é um dos anestésicos locais mais usados pelos cirurgiões-dentistas. Continue a leitura e saiba mais sobre o uso da benzocaína na odontologia, suas variações, contraindicações e muito mais.

As radiografias panorâmicas são de grande importância para estabelecer diagnósticos e planos de tratamento, além de ser muito úteis em casos de acompanhamentos de prognósticos. Mas, para isso, é preciso que o exame seja realizado de forma correta, evitando possíveis distorções e erros que vão dificultar ou até mesmo inviabilizar uma análise satisfatória.​

No conteúdo de hoje vamos falar sobre a proteção pulpar. É importante ter em conta que qualquer ação que fazemos na dentina afeta a polpa.

Na escolha de um protetor pulpar ou outro, o profissional responsável pelo procedimento deve compreender muito bem o caso clínico perante o qual se encontra, para o tratar com os melhores resultados.

Se você já foi ao dentista para realizar algum procedimento, desde tirar uma cárie até colocar um aparelho, com certeza, precisou fazer uma documentação ortodôntica, não é mesmo? É bastante comum que os profissionais solicitem exames e radiografias para entender qual é o procedimento mais indicado para o seu caso, como o melhor tipo de ortodontia para alinhar sua arcada dentária.

Para entender tudo sobre esses documentos, vamos apresentar este conteúdo sobre o assunto, no qual explicamos em detalhes tudo o que envolve essa documentação. Continue a leitura e confira!

A área da saúde, em geral, tem várias regras relacionadas à segurança no trabalho. Afinal, faz parte do dia a dia de quem trabalha nos hospitais, postos de saúde e consultórios, por exemplo, o contato com diferentes vírus, bactérias e outros microrganismos que podem ser inofensivos ou não. Nesse sentido, é importante dar atenção também ao EPI para odontologia, como os óculos de proteção odontológico.

Durante a sua rotina, é comum que o dentista use diversos EPIs (equipamentos de proteção individual) como luvas, máscaras e óculos de proteção, dependendo do tipo de procedimento a ser feito. A importância do uso correto do equipamento não está relacionada apenas à proteção do profissional, mas também à dos próprios pacientes.

Pensando nisso, no post de hoje explicaremos quais são os principais itens de segurança na área da odontologia e a importância de saber usá-los. Confira!